Theratogs | Paralisia Cerebral Hemiplegica

Paralisia Cerebral Hemiplegica

Principais Usos do Theratogs

Paralisia Cerebral Hemiplegica

A hemiplegia é um transtorno complexo que é agravado pela capacidade da criança de encontrar estratégias usando as extremidades menos afetadas que compensam as dificuldades encontradas no lado afetado. O resultado é uma deterioração progressiva da função, tamanho, extensibilidade muscular e crescimento e formação de osso nos membros do lado afetado.

Como TheraTogs pode contribuir no tratamento de crianças com hemiplegia?

Auxílio que o Theratogs pode promover aos objetivos da terapia:

  • Melhorar a simetria do corpo e a distribuição de carga no lado afetado.
  • Melhorar a estabilidade funcional do tronco, do quadril e escápula do lado afetado.
  • Promover o uso efetivo dos membros afetados, melhorando o controle postural e o alinhamento das articulações dos membros proximais – incluindo o aumento do comprimento da etapa afetada ao reduzir a rotação pélvica consistente em direção ao lado afetado.
  • Minimizar o tecido mole e deformidades ósseas relacionadas ao alinhamento assimétrico e ao carregamento de peso.

Sobre a Paralisia Cerebral hemiplégica

O tipo hemlipélico é caracterizado pelo comprometimento  dos músculos dos membros superiores e inferiores e do tronco de um lado do corpo.

Muitas crianças mostram evidências de comprometimento leve no lado oposto também. A incidência de PC hemiplégica está aumentando, ocorrendo em aproximadamente 38% da população. [1] Embora as causas da PC hemiplégicoa sejam variadas, é comum a presença de  acidente vascular cerebral pré-natal ou perinatal (período de parto) devido à isquemia arterial (bloqueio do fluxo sangüíneo).

O sistema de classificação neurológica lista três categorias de hemiplegia:

  • PC espástica (piramidal)
  • PC Disquinética (extrapiramidal)
  • Tipos mistos

As lesões do tracto piramidal estão associadas a uma habilidade prejudicada no uso dos músculos em padrões efetivos e eficientes (ou seja, redução do controle seletivo motor). Embora a lesão seja imutável, a rigidez muscular e as deformidades articulares nos membros afetados geralmente pioram ao longo do tempo. A espasticidade está presente se uma lesão do tracto piramidal interfere com a modulação normal dos reflexos de estiramento muscular. Os sinais de espasticidade incluem respostas reflexas exageradas. A rigidez muscular pode se desenvolver sem espasticidade, e não é evidência da mesma,; A espasticidade não causa rigidez muscular.

A descinesia é caracterizada pela presença de movimentos involuntários ou postura.

Referências

Himmelmann K1, Hagberg G, Beckung E, Hagberg B, Uvebrant P. 2005. The changing panorama of cerebral palsy in Sweden. IX. Prevalence and origin in the birth-year period 1995-1998. Acta Paediatr. 94(3): 287-294.

No Comments

Post A Comment